segunda-feira, 29 de outubro de 2007

...é na agonia de uma despedida, quando forçosamente esse momento acontece, é nesse instante que percebemos a profundidade dos nossos sentimentos, o valor de uma amizade...
Se fossemos capazes de saber quando e onde uma despedida deixa de ser uma ausência e o vazio deixado pela partida é preenchido pela presença daquele que partiu, a despedida seria menos dolorosa... assimilaríamos a emoção da despedida, não como um fim mas sim, como o princípio do desejado reencontro...
Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

7 disseram à tia:

Anónimo disse...
29 outubro, 2007 11:39  

6 minutos estão para a semana, como 6 meses para a vida!

Merchi disse...
29 outubro, 2007 11:41  

não acredito em despedidas ... por isso prefiro dizer sempre "até logo" ...

redjan disse...
29 outubro, 2007 12:32  

E somos capazes Tia ... somos mesmo ! Guardamo-lo é para quem entrou para nunca sair !!!

Anónimo disse...
29 outubro, 2007 12:35  

Uma lição para a tia:
"Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se eterniza, e nenhuma força jamais o resgata."
--Carlos Drummond de Andrade

Cati disse...
29 outubro, 2007 13:58  

Hummm...
Anime-se tia... as despedidas não existem - são apenas um até já - porque já já, mais depressa do que se espera, chegará o dia do desejado reencontro...

Um beijo (e veja lá se acaba de vez com as crises de alzheimer!!!)

Hindy disse...
30 outubro, 2007 02:14  

As despedidas são sempre difíceis...
Força, tiazoca! ;)

Beijinho hindyado

AJO disse...
30 outubro, 2007 19:27  

há vários tipos de despedidas... já tive de viver algumas. Umas foram mais complicadas que outras... mas o tempo dá sempre um destino a cada despedida, mesmo às mais complicadas...
Força aí Tia e qualquer coisa sabe onde encontrar esta sobrinha ;-)
Beijinhos

Enviar um comentário