quarta-feira, 21 de junho de 2006

Chegou o Verão

É oficial, o Verão chegou hoje! Com esta estação maravilha vêm as festas (é tipo brinde)... quem fala em festa fala obrigatoriamente em "lócura" e excessos, daí que a vossa tia tenha preparado carinhosamente um manual de sobrevivência. A maioria dos sobrinhos já é doutorado nestas coisas, mas nunca é demais relembrar procedimentos de base.

Vomitar: junta dois dedos... (se não resultar até podes enfiar 3 ou 4). Abre a boca. Enfia-os pela goela abaixo e deixa-te ir. Faz atenção especial com o cabelo e com o local onde chamas o "greg". Se estiveres no meio da multidão evita vomitar (sim!... como se isso fosse possível!), se estiveres no WC aconselho a não ajoelhar (imagina só a quantidade de mijo que já saltou, nem os homens nem as mulheres são snipers).

Depois de vomitar: pede água, de preferência com açúcar, alguma coisa para morfar e fecha a boca para tudo o que tenha álcool... lavar a boca com whisky não é uma boa ideia (vai por mim).

Discurso: tenta ser original. Não te ponhas com coisas como "nunca mais bebo" ou "eu amo-a(o)", ou até mesmo "foram as misturas...". Vamos tentar uma abordagem diferente, sim? A produção do discurso tem de ser antecipada! Quando se está sóbrio. Para uma utilização oportuna à posteriori . Depois podes rematar com um ligeiro toque humorístico para compensar a preocupação de quem te segurou os cabelos na hora V (de vómito). Qualquer coisa como: "sabem quantas beatas estão no chão da casa de banho? Nenhuma... estão todas aqui na minha camisa!".

Chegar a casa: compra pastilhas ou tic-tac's antes de começares a beber... cheiro por cheiro bastará o de mijo na roupa, não tens de levar também o cheiro a vomitado! Metes os tic-tac's todos na boca (ou um pacote de tridente) e ninguém desconfia que estiveste a vomitar... ou que estiveste quase em coma.


Acordar: não me venhas com merdas outra vez. Não, não é a pior ressaca da tua vida (ainda tens uma vida longa pela frente - se a cirrose, entretanto, não te comer o fígado!) e sim, mesmo que jures a pés juntos, na semana seguinte já estás com outra igual ou pior... não digas, por isso, que nunca mais bebes álcool! Depois, e não necessariamente por esta mesma ordem: tomar um banho, por o quarto a arejar (pois neste momento parece uma adega), guronsan, água, água e água até te passar a sensação de lixa na língua e aquele sabor a papel de música!

9 disseram à tia:

zeca disse...
21 junho, 2006 18:14  

eheheheh, Tia tanta sabedoria!
És uma querida, obrigada pelos conselhos e pelas imensas gargalhadas que eles nos proporcionam. Só tu mesmo ;)

Jokinhas, ah e que tal, vai uma "cervejita"? Eu quero uma com groselha e já agora com uns tremoçitos !
Oh tia, mas qual é a sua?! Chamar-me Tótó só porque gosto de cerveja com groselha, não tá com nada!
Então não sabe que gosto de coisas docinhas? Ok, ok, já percebi....até à vista...

Meiguinha disse...
21 junho, 2006 19:27  

Ó Tia olhe que nem todos os jovens são assim.

Tenho 2 sobrinhos que nunca
me fizeram isto.

Também se fizessem, em minha casa era só uma vez.

E saiba que não sou nada conservadora, sou até um bocadinho amalucada para alguns gostos.

E eles sabem que a tia não bate bem, mas tudo tem um limite.

Beijinhos e obrigada por me fazer sorrir sempre que aqui venho.

Daniela Mann disse...
21 junho, 2006 21:27  

Já estou a tirar apontamentos!!!
eh eh eh eh eh eh

Nomyia disse...
21 junho, 2006 21:30  

Obrigada pela partilha desse conhecimento.
Gostei especialmente da piada das beatas na casa de banho:D
*****

Lu.a disse...
21 junho, 2006 21:57  

LOl!!! Fantástico!
Como sou abstémia, não tenho destes stresses...mas já fui a gaja que segurou o cabelo a muito boa gente!

Yashmeen disse...
21 junho, 2006 22:06  

Belíssimos conselhos, tia...

"A Sogra" disse...
22 junho, 2006 09:36  

E não é que a tia já fez tudo isto!!!
Bons tempos esses!!!

Maria disse...
22 junho, 2006 10:20  

NUNCA dizer NUNCA.

ESSE É O LEMA.

ME disse...
22 junho, 2006 12:04  

Never say never again!!!

Hehehe, adorei o manual, e acho que me vai dar um jeitaço:)

Enviar um comentário